São Paulo Polifônica

Os monges (e os repórteres) do Copan

Há quatro anos os monges budistas Busshinji sobem até o topo do edifício mais alto da cidade para meditar. Uma sexta-feira por mês, reúnem-se na entrada do bloco B do edifício Copan às 7h e sobem para o 34° andar, onde passam uma hora e meia concentrados na cidade abaixo deles. Não é o silêncio que buscam, mas a vibração e os ruídos da cidade, que o monge Jisho vê como uma bolha extremamente frágil.  

Ainda bem que eles não vão atrás de sossego, pois qualquer um concordaria que a sessão de meditação dessa sexta-feira, 18, teve tudo menos silêncio completo. Duas equipes de TV, uma de agência de notícia, uma repórter de revista e nós, simples estudantes, tivemos a mesma ideia e subimos com os monges para acompanhar a sessão de meditação. Pauta boa é assim: todo mundo quer. E quando a chance só aparece uma vez por mês, não tem jeito. A solução foi dividir o tempo e a paciência dos três budistas, que tiveram como plateia quase quinze jornalistas, câmeras, assistentes, produtores e fotógrafos. 

"Vocês são estudantes! Me façam uma pergunta diferente", pediu o monge Jisho antes de falar com a gente, por último, após responder mais de uma vez sobre "os benefícios da prática da meditação". Começamos pela razão de os monges virarem pauta para o SPolifônica: "Como é buscar o silêncio em São Paulo?" Foi aí que ele explicou que o que eles buscam ali não é o silêncio, e sim essa reunião dos sons, ruídos, murmúrios, e silêncios da cidade, todos em sintonia. “Ouvir a cidade de São Paulo é também ouvir esse lamento, esse sorriso, essa gargalhada, e perceber que ela é uma cidade de fala com a gente o tempo todo.” (Clique na foto para ampliar)

Notes

  1. spolifonica posted this

← Previous Post Next Post →

SPolifônica

Você já tentou imaginar a Paulista sem as buzinas dos carros? Ou a 25 de Março sem os gritos dos ambulantes? E se a Liberdade falasse francês?

Cada canto da cidade é formado por sons específicos, alguns que até passam despercebidos. Mas todos são parte da São Paulo que conhecemos. Ou melhor, da São Paulo que iremos redescobrir.

Nesse blog você pode acompanhar a produção da reportagem multimídia São Paulo Polifônica, que em breve estará pronta e aberta para colaboração.

Escute mais a sua cidade. O que você está ouvindo agora?


Dúvidas?